Palavra do Presidente

Desmistificando o reajuste

Publicado em 09/11/2018

Nesta semana, o Senado Federal aprovou o projeto de lei que reajusta os subsídios dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Como era esperado, a aprovação se deu em meio a polêmicas, muitas delas levantadas pela imprensa, sobre a necessidade ou não da recomposição remuneratória num momento em que o Brasil passa por grave crise financeira.
Respeitamos todas as posições, mas sempre é importante salientar que a magistratura e o Ministério Público, especialmente, foram as únicas duas carreiras que desde 2014 não haviam recebido nenhum reajuste e que, na verdade, o índice aprovado pelo Senado está muito abaixo da correção inflacionária do período. É lógico que há uma desinformação a respeito do assunto, pois muitas vezes a sociedade em geral se fixa no salário dos ministros do Supremo, esquecendo-se que até chegar aos Estados e às entrâncias há uma redução sensível do valor nominal.
Respeitamos todas as posições, entendemos que um país democrático se faz com opiniões livres, mas num assunto tão delicado e que envolve carreiras de Estado, entendo, e essa é minha opinião, que deveria haver um aprofundamento maior do tema, no sentido de esclarecer a população, e não a simples repetição de clichês marcados que mantêm a discussão sobre o que deve ser a remuneração de um juiz ou promotor numa superficialidade que não interessa a ninguém.